Veja também :
VT 600 C SHADOW

R$ 17.300,00

XT 600 Z TENERE

R$ 9.900,00

PUBLICIDADE


Anuncie sua moto grátis
Buscar Motos
ano: até:

PUBLICIDADE



Newsletter
Receba novidades e ofertas exclusivas!

Notícias do Blog Tudo de Motos



A Harley-Davidson anunciou nesta semana uma campanha de recall de 323 unidades dos modelos Tourig Electra Glide Ultra Limited e Street Glide Special, fabricadas entre 2015 e 2016. O objetivo é realizar a desmontagem do cilindro mestre da embreagem hidráulica, lavar com solução apropriada e posteriormente remontar o sistema. O chamamento preventivo se faz necessário em função de uma eventual reação química dentro do cilindro mestre que pode impedir o desengate da embreagem após longos períodos de inatividade. Como consequência, o sistema continuará engatado, situação que poderá ocasionar a queda do motociclista, com eventuais danos físicos e materiais, inclusive a terceiros. Em maio, a H-D já havia convocado recall de 196 motos da família Dyna, modelo Low Rider, por problema no interruptor de ignição.

Confira os números dos chassis – não sequenciais – que devem aderir a campanha:

Modelos: Electra Glide Ultra Limited

Ano de fabricação: 2015 e 2016      

Ano modelo: 2016 

Chassi não sequencial:
9321KELJ0GD607271 à 9321KELJ9GD664522
9321KELJXGD609058 à 9321KELJXGD666974

Modelos: Street Glide Special

Ano de fabricação: 2015 e 2016      

Ano modelo: 2016 

Chassi não sequencial:
9321KRMJ0GD618194 à 9321KRMJ9GD664543
9321KRMJXGD611186 à 9321KRMJXGD654524



Para certificar se a sua moto deve ser direcionada a uma concessionária, a HD abriu três canais de comunicação com seus clientes: pelo site da empresa (www.harley-davidson.com.br), no SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) – 0800 724 1188, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h (exceto feriados) – ou ainda por e-mail (sac@harley-davidson.com.br). 
As Harleys abrangidas pelo recall serão inspecionadas e, acaso apresentem o problema, serão imediatamente reparadas. Segundo a marca, o serviço é gratuito e tem duração de cerca de 1h30

Com informações: Infomoto
Fotos:  Divulgação Ducati
Apresentada no Salão de Milão 2015, onde foi eleita a moto mais bonita do evento pelos visitantes (veja mais em www.tudodemotos.com.br/2015/11/ducati-xdiavel-e-escolhida-moto-mais.html), a Ducati XDiavel já está no Brasil: a cruiser italiana foi mostrada pela primeira vez dia 21 de julho na concessionária da marca em Brasília (DF). 


O modelo já pode ser adquirido em pré-venda, mas só chegará às lojas em setembro: a XDiavel irá custar R$ 74.900 e a XDiavel S, top de linha, R$ 85.900 – aliás, no lançamento já foram vendidas três unidades da versão “S''. As duas versões da XDiavel serão apresentadas no estande da Ducati durante o evento Capital Moto Week, que acontece na capital federal entre 22 de julho, e domingo, 30 de julho.


A cruiser italiana está equipada com o motor Testastretta DVT, um bicilíndrico em “L”, de 1.262 cm³, com comando de válvulas variável e arrefecimento líquido, que produz 156 cv (a 9.500 rpm) de potência máxima e incríveis 13,35 kgf.m de torque já a 5.000 giros. Longa, baixa e musculosa, esta é a primeira Ducati equipada com transmissão final por correia dentada (belt drive), uma característica das motos da categoria cruiser. A XDiavel traz tecnologia de ponta, como três modos de pilotagem, controle de tração com oito níveis de atuação e freios ABS.

Por Arthur Caldeira  - Infomoto


Vídeo Oficial da XDiavel:



Pequena esportiva tem motor de 2 cilindros e 250 cc.Moto estreia novo farol dianteiro em formato de bumerangue.

A Honda CBR 250RR foi lançada nesta segunda-feira (25) na Indonésia. O modelo inédito possui motor de 2 cilindros, com refrigeração líquida, e será concorrente de Kawasaki Ninja 300 e Yamaha YZF-R3. Os dados de desempenho do motor ainda não foram divulgados.

A pequena esportiva chega para ser uma evolução, comparada a CBR 250R, que tem motor de 1 cilindro e conjunto mais simples. De acordo com a empresa, as vendas começam no final do ano na Indonésia e os planos são de o modelo chegar depois ao Japão.
Ainda não há informações sobre a chegada da CBR 250RR ao Brasil. A moto é a versão de produção do conceito que foi apresentado no Salão de Tóquio 2015.



Visual radical e tecnologia

A Honda trabalhou profundamente o visual da CBR 250RR, inclusive, estreando um novo conceito de farol dianteiro com dois faróis de estilo bumerangue.
Destaque também para o escapamento com duas saídas e a rabeta bem alta e esportiva, com luzes de LED.



O modelo tem acelerador eletrônico e 3 mapas de funcionamento do motor.
Assim, o motociclista pode escolher entre uma entrega de potência mais linear ou mais esportiva.

Com balança de alumínio e suspensões dianteiras invertidas, a moto também tem freios ABS e com discos nas duas rodas.

Com informações do G1, em São Paulo


Confira o Vídeo Oficial da Honda - Indonésia:

Marc Marquez, Repsol Honda Team - Comemora a vitória com uma grande estratégia da equipe - Foto: MotoGP

Mais um MotoGP com chuva e mais uma vez, os protagonistas mudam. A corrida é outra quando o piso está molhado. Logo se vê quem consegue se manter com a pista molhada e quem literalmente alivia a mão.
Além disso, quem geralmente não aparece no seco, pode se arriscar um pouco mais, pois tem menos a perder. As primeiras voltas no circuito de Sachsenring, na Alemanha tinha entre as primeiras posições, Danilo Petrucci, Hector Barbera e Jack Miller. Difícil de acreditar? Jack Miller estava disposto a não ser mais uma "zebra" e fazia uma corrida surpreendente. 
Márquez saiu na frente, mas não conseguiu segurar a posição por muito tempo e foi caindo de posições. Rossi consegue se manter bem no molhado e chegou a liderar. Danilo Petrucci andava bem, assumiu a ponta com Dovizioso em segundo e Rossi em terceiro.
Faltando 24 voltas para o fim, parou de chover e nesse momento entra na corrida a estratégia e a inteligência. Três voltas depois Petrucci caía e deixava a ponta para Dovizioso. Porém, algo que mudaria ainda mais o rumo da corrida acontecia lá atrás: Márquez trocava de moto, com um pneu da frente para pista seca e o traseiro intermediário. 

Danilo Petrucci, Andrea Dovizioso, Valentino Rossi -  uma boa parte da corrida foi assim  - Foto: MotoGP

A medida que o circuito secava, Márquez ganhava posições. A equipe chamou Rossi várias vezes para trocar para uma moto com pneus slick, mas o italiano se recusava e só foi para os boxes quando o líder Dovizioso entrou também. Além de ter demorado demais para ir para os boxes, Rossi foi lento na troca de motos, isso faltando apenas 8 voltas para o final.
A essa altura a corrida já ganhava o formato final. Márquez ganhando posições chegou a ponta com Redding em segundo e Cal Crutchlow em terceiro. A pressão de Crutchlow deu tanto resultado que passou Redding conquistando o segundo degrau do pódio. 
Dovizioso, que foi o melhor na troca de motos, também passou Redding pouco antes do final e conseguiu o terceiro lugar.
Márquez chegou tão tranquilo na frente que pôde desacelerar e comemorar a vitória antes da bandeirada.

Marc Marquez, Repsol Honda Team - Foto: MotoGP

Dessa vez podemos dizer que a estratégia venceu. Claro, combinando isso com o desempenho de um piloto excepcional. Mas fica a lição de um guri de apenas 23 anos. Ah sim, Valentino Rossi (de 37 anos) chegou em 8º e Lorenzo que não foi citado no texto, em 15º.

Resutado do MotoGP da Alemanha - Sachsenring (7 primeiros):

1 -  M. MARQUEZ 47:03.239
2 -  C. CRUTCHLOW +9.857
3 -  A. DOVIZIOSO +11.613
4 -  S. REDDING +11.992
5 -  A. IANNONE +22.755
6 -  D. PEDROSA +25.920
7 - J. MILLER +26.043
Untitled Document