Anuncie sua moto grátis
Buscar Motos
ano: até:

PUBLICIDADE



Newsletter
Receba novidades e ofertas exclusivas!

Notícias do Blog Tudo de Motos

A MT-07 foi especialmente desenhada para prova de Pikes Peak para Rafael Paschoalin - Foto: Yamaha

O piloto da Yamaha, Rafael Paschoalin, já está respirando a atmosfera historicamente desafiadora que só uma prova de 100 anos é capaz de oferecer. Pikes Peak aguarda a largada no domingo (26/06) para ver a estreia oficial do primeiro latino americano em seu traçado. E que traçado ... uma subida de 20km com 156 curvas! Os pilotos partem a cerca de 2300 m de altitude e cruzam a linha de chegada a mais de 4300 m, onde o ar rarefeito castiga o corpo e a máquina.

Nesse último século a rota original, começou sem pavimento e por muitos anos foi misto: asfalto e terra, e desde que foi 100% pavimentada passou a acumular recordes, com isso a competitividade só aumentou entre os participantes, em busca do contorno perfeito, na mais alta velocidade possível.

Rafael Paschoalin, desembarcou em Colorado Springs (EUA), onde está desde o último dia 09 de junho, carregando na bagagem a experiência da participação em outra das provas mais desafiadoras do planeta, TT Isle de Man (veja mais: http://www.tudodemotos.com.br/2015/06/ian-hutchinson-conquista-segunda.html), onde estabeleceu um marco no motociclismo nacional e mundial como primeiro piloto brasileiro na prova. 
“Há muitos momentos até chegarmos a largada da prova, desde a escolha do desafio, passando pela preparação física, psicológica, a adaptação à motocicleta e ao estilo de pilotagem que o traçado exige. Mas é só mesmo quando estamos no universo da competição, vendo tudo se tornando realidade e a prova se aproximando, é que a adrenalina começa a tomar conta, e é nesse ponto que toda a preparação e concentração fazem a diferença. Representar o Brasil e a América Latina em uma prova como Pikes Peak me deixa muito honrado e aumenta a minha responsabilidade, mas ao mesmo tempo saber que a preparação foi bem feita, que a Yamaha me entregou uma motocicleta perfeita para o desafio, me deixam muito confiante para domingo.”


Para encarar a prova extrema nas montanhas do Colorado, a parceira de Paschoalin será a MT-07, uma legítima representante do “The Dark Side of Japan”. (Veja mais sobre a MT-07: http://www.tudodemotos.com.br/2015/05/mt-07-e-nova-menina-dos-olhos-da-yamaha.html) O layout da MT-07 Competion Blue foi elaborado pelo designer da Yamaha Motor do Brasil, Carlos Passos: “O azul usado foi o Racing Blue, característico dos modelos de competição da Yamaha, desde a M1 usada por Valentino Rossi, passando pelas “Off” YZ e WR e que se estende aos modelos de rua. O Racing Blue carrega esse DNA de competição em sua tonalidade. Os “speed blocks”, o conjunto de blocos espaçados que preenchem a parte inferior do tanque também fazem parte desse DNA, expressam sensação de velocidade. Mais abaixo nas laterais do tanque, está o logo da MT, o escudo deixa claro que a motocicleta faz parte da família “Master of Torque”.

Paschoalin irá disputar a categoria Middleweight, onde há uma ampla gama de motocicletas. Concorrentes nesta divisão estão autorizados a utilizar motores de dois ou quatro tempos que não excedam quatro cilindros e que tenham entre 501 e 750 cilindradas. A união de potência do modelo MT-07, com o motor bicilindrico crossplane de 689 cc e 74,8 CV, peso equilibrado e geometria apurada, resultou em uma motocicleta ágil, precisa nas mudanças de direção e torque nas retomadas, perfeita para enfrentar qualquer desafio, nem que ele seja, como destaca Pikes Peak, “nas nuvens”.

Participar de desafios como este, faz parte da história da Yamaha, destaca Helio Ninomiya, gerente de marketing e planejamento de produtos da Yamaha Motor do Brasil: “A prova de estreia da primeira motocicleta da Yamaha Motors, a YA-1, foi uma subida de montanha. No dia 1º de julho de 1955 a nossa primeira motocicleta sagrou-se campeã da 3ª Corrida de Subida do Monte Fuji. Então é muito bacana poder apoiar um piloto brasileiro fazendo história em uma das mais tradicionais corridas dessa modalidade. Paschoalin e MT-07 formam uma dupla bastante forte, ambos estão mais do que preparados para desafios desse tipo, estamos confiantes que o Rafael vai fazer bonito na sua categoria” 

A prova de Pikes Peak será disputada no domingo (26/06), nos Estados Unidos. Acompanhe todas as informações sobre a participação do piloto Yamaha Rafael Paschoalin, com fotos e vídeos pelo Facebook, na Fan Page oficial da Yamaha, em www.facebook.com/yamahamotorbrasil

MT-07 Standart: Preço à vista R$ 29.158,00 (frete incluso)
Condição: Entrada de 30% + 12x sem juros de R$ 1.775,00 ou 36x de 729,00 com taxa de 1,17%a.m.


A 500R ganhou carenagem facetada e suspensões com ajuste: preço é de R$ 29.000 com ABS - Foto Divulgação

CB 500F, CB 500X e CBR 500R ganham novo visual e tanque maiores.Preços ficaram, em média, R$ 3 mil mais caros.

Projetadas para serem motos racionais e acessíveis – tanto no preço, como na facilidade de pilotagem – as três versões da linha de 500cc da Honda foram atualizadas para 2016. A naked CB 500F, a esportiva CBR 500R e a crossover CB 500X ganharam design mais moderno, novos grafismos, suspensões melhores e um tanque de combustível com mais capacidade, além de melhorias pontuais, como lanterna e farol de LED e tampa de combustível articulada.

Os três modelos chegam ao Brasil em julho com as melhorias e também com um aumento de preço: a naked 500F agora custa a partir de R$ 26.000 (R$ 28.000 com ABS); a esportiva será vendida em versão única já com ABS por R$ 29.900; assim como a CB 500X ABS com preço de R$ 29.900. Outra boa novidade é que as três motos de 500cc agora têm o serviço Honda Assistance 24h em todo o território nacional e durante o período de três anos, a vigência da garantia.

A motorização continua o mesmo bicilíndrico de 471 cm³, duplo comando no cabeçote, quatro válvulas por cilindro e refrigeração líquida. Capaz de produzir 50,4 cavalos a 8.500 rpm, o motor caracteriza-se pela entrega linear de potência, ideal para quem está começando em motos de maior porte. O quadro, tipo diamond, feito em tubos de aço também é o mesmo das versões anteriores.

A mudança mais perceptível é mesmo no design das três novas CB 500. A aparência mais moderna vem das linhas angulosas e dos novos grafismos e cores, que contribuem para dar mais vida aos modelos – uma crítica aos anteriores, simplistas demais.

CB 500F - Naked



A antes comportada CB 500F ganhou novo conjunto óptico de LED e a carenagem do farol está mais encorpada. O tanque de combustível tem novo desenho e ficou maior: passou de 15,7 para 16,7 litros. A rabeta também mudou, ganhando linhas retas e duas entradas de ar. As mudanças conferiram um visual mais musculoso ao modelo naked. A nova ponteira de escapamento em formato poligonal, mais moderna e esportiva, segundo o fabricante, emite um ronco mais “empolgante”.





As suspensões são outra novidade. Na dianteira, o garfo telescópico convencional ganhou ajustes, assim como o monoamortecedor traseiro. A naked CB 500F é a mais em conta das três versões, e a única que será vendida sem freios ABS por R$ 26.000, porém somente na cor preta – o preço do modelo anterior standard era de R$ 23.053. A versão com ABS sai por R$ 28.000 nas cores branca, preta e vermelha.


CBR 500R - Esportiva



A CBR 500R ganhou mais ousadia no design e cores: a esportiva será vendida somente com freios ABS por R$ 29.000 na cor preta com grafismos laranja; ou vermelha com grafismos preto e branco. Além das linhas angulosas e mais modernas, a CBR 500R trouxe melhorias no conjunto de suspensão.




Outra mudança bem vinda na esportiva (e também nos outros modelos) é a regulagem do manete de freio. O tanque é o mesmo da naked com capacidade para 16,7 litros, assim como a ponteira de escapamento. Mais atraente, a CBR 500R ficou 12% mais cara.

CB 500X - Crossover



A mais versátil CB 500X é a que menos aparenta ser nova, pelo menos na parte visual. Infelizmente, a Honda não trouxe os ousados grafismos mostrados na Europa e, por alguma razão desconhecida, manteve a antiga ponteira cromada e “careta”.



Por outro lado, ganhou as mudanças mecânicas das outras versões (regulagem de suspensão e manete do freio), além de um tanque maior – agora são 17,7 litros (0,4 litros a mais do que a antiga 500X). A crossover ainda ganhou um novo para-brisa, 100 mm mais alto e que pode ser montado em duas posições.



A má notícia é que a nova CB 500X ficou ainda mais cara. Será vendida apenas com freios ABS, nas comportadas cores vermelha e branca, por R$ 29.900 um aumento de 13% em relação à anterior com ABS, que estava cotada a R$ 26.200. 


Por Arthur Caldeira - Infomoto
Foto: André Chaco/Vipcomm

A Dunas Race, organizadora do Rally dos Sertões, um dos maiores e mais disputados do mundo, divulgou as oito cidades que vão fazer parte do roteiro da prova, entre 3 e 10 de setembro. Duas delas são inéditas em 24 anos de história.

O Sertões terá a largada promocional em Goiânia no dia 3 e no dia seguinte parte com destino a Padre Bernardo. Ainda dentro do estado de Goiás, o rali passará por Cavalcante e depois Posse, esta última nunca visitada pela competição. Em seguida a caravana entrará no estado da Bahia, onde os competidores dormirão uma noite em Luís Eduardo Magalhães.

E os três últimos dias de prova vão percorrer o Deserto do Jalapão, em Tocantins. No trecho entre Luís Eduardo Magalhães e Mateiros será feita a etapa Maratona (pilotos não podem contar com a ajuda de mecânicos). A pequena cidade tocantinense, de apenas 2.524 habitantes, também entrou na rota do Sertões pela primeira vez. A penúltima cidade será Ponte Alta, cenário de várias edições da prova, e finalmente a chegada acontece em Palmas, no Tocantins.

Foto: Victor Eleuterio/Vipcomm


3/09
Largada promocional em Goiânia

04/09 – Etapa 1
Goiânia – Padre Bernardo

05/09 – Etapa 2
Padre Bernardo – Cavalcante

06/09 – Etapa 3
Cavalcante – Posse

07/09 – Etapa 4
Posse – Luís Eduardo Magalhães

08/09 – Etapa 5
Luís Eduardo Magalhães – Mateiros

09/09 – Etapa 6
Mateiros – Ponte Alta

10/09 – Etapa 7
Ponte Alta – Palmas
Nielsen Bueno, piloto e chefe de equipe da Sacramento Racing, vence a terceira etapa da Copa EFX de Enduro FIM na Over 35  - Crédito: Janjão Santiago/Mundo Press

Time amplia lideranças e vence disputa por equipes em MG; Com as motos KTM, pilotos ainda conquistam vitórias em competições regionais

Três Corações (MG) – A Sacramento Racing foi o grande destaque da terceira etapa da Copa EFX de Enduro FIM, realizada neste domingo (19) no Parque Dondinho, em Três Corações (MG). Vencedor da disputa por equipes, o time subiu no lugar mais alto do pódio com Vinícius Calafati (categoria Júnior), Cauê Aguiar (E2) e Nielsen Bueno (Over 35), que ampliam vantagem na liderança das respectivas categorias. A Sacramento Racing ainda conquistou vitórias com as motos KTM em competições regionais, pelo Gaúcho de Cros Country e pela Taça Sul-Brasileira VM de Enduro FIM.

O público compareceu em peso para ver de perto as disputas da Copa EFX, uma das principais competições de Enduro FIM do calendário nacional. “O Parque Dondinho é dentro da cidade e ficou lotado. Foi uma etapa fantástica em todos os sentidos, além de ganhar três categorias conquistamos vitória entre os times pela primeira vez no ano”, lembrou o experiente chefe de equipe Nielsen Bueno. No ranking de 2016, a Sacramento Racing ocupa a vice-liderança da disputa por equipes. 

O time ainda somou pontos importantes na etapa mineira com Jéssica Sâmia (segunda colocada da classe Feminina), Washington Murilo Silva “Caipirinha” (quinto da Júnior) e Washington Silva “Caipira” (segundo da Over 50). A próxima etapa da Copa EFX está marcada para o dia 7 de agosto em Caraguatatuba (SP). 

Vinícius Calafati, piloto da equipe Sacramento Racing, vence a terceira etapa da Copa EFX de Enduro FIM na Júnior - Crédito: Janjão Santiago/Mundo Press

Desafios regionais – A quarta etapa do Campeonato Gaúcho de Cross Country movimentou a cidade de Farroupilha (RS) e teve saldo mais do que positivo para o tetracampeão estadual da modalidade Diego Colett. O piloto da Sacramento Racing venceu a XC1 e, de quebra, assumiu a liderança da categoria neste domingo. 

“Levei um tombo na primeira corrida e fiquei em segundo lugar. Na segunda bateria, consegui ultrapassar a três voltas do final e vencer a prova, o que rendeu a liderança na etapa e no campeonato”, relatou. Anderson Vieira “Sorvetero” também subiu no pódio da XC1, em quarto lugar.

Em Chapecó (SC), na quarta etapa da Taça Sul-Brasileira VM de Enduro FIM, Marcel Maison conquistou mais uma vitória pela classe E2T e segue líder. Ele ainda foi o segundo mais rápido entre todas as motos participantes do evento deste domingo. “A prova foi longa, com trechos rápidos e outros muito lisos e escorregadios, que exigiram bastante atenção dos pilotos”, finalizou o representante da Sacramento Racing.
Untitled Document